A agência de viagens corporativas VOLL ensina como fugir dos altos preços na disputa por estadia e passagens entre os turistas à trabalho e à lazer

As viagens corporativas seguem em curva ascendente desde o ano passado, devido à melhora da questão sanitária no país. Neste ano, as empresas já têm competido pelo espaço em aviões e hotéis com os turistas a lazer: são nove feriados nacionais em dias úteis, quatro deles prolongados. A alta demanda também promete subir os preços, por isso a especialista VOLL, agência de viagens corporativas referência em seu setor, dá dicas de como economizar e não ter que adiar aquela viagem tão importante:

1) Planeje as viagens com a máxima antecedência possível 

O ideal é que a compra das passagens aéreas aconteça, ao menos, três semanas antes da viagem, pois os preços ainda estão ligados também ao fato de que o número de aeronaves no Brasil não é capaz de atender toda a demanda. Para um voo que sai de São Paulo com destino ao Rio, a mesma passagem pode ter um aumento maior que 200% se, ao invés de comprada com 20 dias de antecedência, ela for adquirida apenas 3 dias antes.

2) Tente ser flexível para encontrar o melhor custo-benefício

Para economizar, é hora de buscar os dias e horários menos disputados pelos viajantes, fazer testes de compra de turnos diferentes para a mesma viagem e até de aeroportos diferentes. Um exemplo é Maragogi, em Alagoas. A cidade está praticamente à mesma distância tanto do aeroporto de Maceió (124km), capital do mesmo estado, quanto de Recife (130km), capital do estado vizinho, Pernambuco..

3) A localização do seu evento pode ser alterada?

A Organização Mundial de Turismo, é de que, em 2023, a movimentação turística global vai alcançar de 80% a 95% dos níveis pré-pandemia. Destinos famosos como o Rio de Janeiro, por exemplo, devem ter suas reservas esgotadas com rapidez, por isso vale pensar em uma segunda ou até terceira opção ao planejar uma feira ou seminário. 

4) O deslocamento

Mesmo se tratando de viagens nacionais, devemos lembrar que o Brasil é um país de dimensões continentais e que, para determinados destinos, não há outra opção de transporte tão eficaz quanto o deslocamento aéreo, como seria se tivéssemos uma robusta malha ferroviária. Então, o que vale nesse momento é a flexibilidade no planejamento da viagem.

5) A tecnologia é sua aliada

Fazer múltiplos testes de passagem, estadia e outras necessidades, além de analisar e encaixar os resultados, para cada viagem, manualmente, é uma tarefa e tanto, e gastaria um tempo que provavelmente nenhum gestor de viagens tem disponível. Por isso, as empresas que conseguem economizar mais são aquelas que têm em mãos ferramentas capazes de fazer essa matemática sozinhas. A plataforma da VOLL, por exemplo, permite a integração de toda a jornada da viagem, do planejamento à gestão das despesas, em um só lugar, além de gerar uma economia média de 30% para as empresas, enquanto traz mais agilidade, organização e total transparência. 

Sobre a VOLL – A VOLL é protagonista da revolução no mercado de gestão de viagens,  mobilidade e despesas corporativas. Por ser a agência de viagens da nova economia, a traveltech desenvolve tecnologia e ferramentas para simplificar processos, otimizar custos e facilitar as viagens das grandes empresas, além de oferecer uma série de serviços customizados e possuir uma equipe especializada para atender 24/7 em vários canais. Hoje, com mais de 300 colaboradores em todos estados e unidades em São Paulo e Belo Horizonte, a VOLL é uma empresa investida pela Vivo e pela Localiza e é uma das integrantes do ranking 100 Startups to Watch 2021. Conheça mais sobre a traveltech que vem revolucionando o mercado de viagens corporativas em: www.govoll.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui