Interesse pela sustentabilidade também aumentou. Site do Recicla Sampa contabilizou mais de 38 mil acessos em julho

Uma pesquisa realizada pela EY Parthenon, multinacional de serviços e consultoria, mostrou que para a maioria das 1.134 pessoas ouvidas o consumo pós-pandemia será mais consciente no Brasil.

Segundo o estudo, que foi intitulado “EY Future Consumer Index”, 72% dos entrevistados se conscientizaram mais sobre hábitos de higiene pessoal e limpeza, 68% passaram a cozinhar mais suas próprias refeições e 63% disseram que vão frequentar menos lojas físicas. Gastos com moda, cosméticos e itens considerados supérfluos não são prioridade para 60% dos entrevistados.

A pandemia tem mostrado mudanças de hábitos no consumo, principalmente no que se refere a produtos sustentáveis. Uma pesquisa feita pelo Mercado Livre, site de compras, apontou um salto de 55% na busca por essa categoria entre junho de 2019 e maio deste ano.

Os dados revelam que cerca de 2,5 milhões de usuários de toda a América Latina compraram produtos com proposta sustentável. Só no Brasil, foram 1,4 milhão. Bicicletas, iluminação de LED e sacolas ecológicas são alguns exemplos dos produtos que ocupam o ranking dos mais vendidos no país.

Já em São Paulo, dados da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) mostraram que o paulistano está mais consciente e aderindo a coleta seletiva. No mês de julho, ela aumentou cerca de 22% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números indicam que campanhas de educação ambiental, como o movimento Recicla Sampa, têm se mostrado eficazes na conscientização dos cidadãos.

O aumento da coleta seletiva é aliado ao crescimento de acessos ao site do Movimento. O mês de julho registrou maior número de acessos à Plataforma, com quase 38 mil visitas. Isso se explica pelo maior interesse da população em consumir informações sobre reciclagem, além de terem no site um local para esclarecimento de dúvidas.

Os conteúdos mais procurados foram: onde encontrar ” pontos de coleta “, ” reciclagem de latas : entenda sua importância e saiba como fazer” e ” você sabe as diferenças entre lixo orgânico e reciclável “.

Coleta Seletiva

Vale destacar que, mesmo no período de pandemia, o destino dos resíduos recicláveis coletados na capital de São Paulo continua sendo as Centrais Mecanizadas de Triagem, que possuem capacidade operacional de 500 toneladas de resíduos por dia (250 cada).

Para realizar o descarte correto, o recomendado por órgãos municipais é reforçar os sacos de lixo. Os resíduos devem ser ensacados duas vezes em sacos resistentes, descartáveis e com enchimento de até dois terços da sua capacidade. Essa medida visa evitar o contato dos coletores com possíveis resíduos contaminados.

Confira dicas do Recicla para fazer a coleta seletiva corretamente, principalmente nesses tempos de pandemia:

1. Tenha duas lixeiras em casa. Uma para lixo orgânico e outra para lixo reciclável;

2. Não molhe o material reciclável, isso inviabiliza seu reaproveitamento;

3. Retire os resíduos de embalagens de vidro, plástico, longa vida, garrafas pet e latas antes de reciclá-las;

4. Na hora de descartar materiais cortantes – vidro, por exemplo – não esqueça de embrulhar em jornais ou papéis de espessura grossa e etiquetar. Isso evita que o coletor se machuque;

5. Restos de alimento e cascas de frutas são lixo orgânico. Por isso não misture com o lixo reciclável;

6. Não jogue luvas e máscaras de proteção no lixo reciclável, se contaminadas, podem causar riscos à saúde dos coletores e de quem atua nessa atividade.

Sobre o Recicla Sampa

O movimento tem como objetivo ampliar a coleta seletiva na capital baseado em uma plataforma online de amplo conteúdo. Há vídeos, webdocs, tutoriais, jogos, materiais para impressão, reportagens, notícias e entrevistas para orientar e informar os cidadãos da importância da separação dos resíduos para diminuir o volume dos resíduos enviados aos aterros sanitários da capital paulista.

A plataforma é resultado da parceria entre Loga e EcoUrbis, concessionárias de limpeza urbana de São Paulo, e conta com o apoio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), responsável pela regulação dos contratos de limpeza.

O Movimento atende a meta 24, do Plano de Metas da Prefeitura de São Paulo para 2020, que determina a redução, em quatro anos, de 500 mil toneladas de resíduos enviados aos aterros municipais.

Conheça! www.reciclasampa.com.br