Profissionais capazes de aliar análise de dados com as emoções humanas serão o mais disputados pelo mercado

Profissões como cientista de dados e desenvolvedor salesforce seguem entre algumas das carreiras consideradas promissoras. Nem os mais otimistas dos especialistas em RH às imaginariam há alguns anos, mas com o surgimento de novas tecnologias é notório que o mercado de trabalho está cada vez mais evoluído.

De acordo com Myke Mello, Chief Technology Officer da Nexcore Tecnologia, dentre as mais surpreendentes ocupações “recém chegadas”, quase todas são voltadas para a área da tecnologia. A Nexcore é uma empresa especializada no desenvolvimento de softwares de gestão e comunicação Omnichannel e por abrir vagas no setor constantemente, percebe de forma nítida a mudança do segmento e por consequência a falta de mão de obra qualificada.

Segundo Mello, a carreira de Cientista de Dados já era considerada a “menina dos olhos” das grandes corporações há 10 anos atrás. Em 2019, o Fórum Econômico Mundial a nomeou como uma das mais relevantes para o mercado em 2020. O alto volume de dados (Big Data) que a internet produz, somado aos algoritmos matemáticos, necessitam de profissionais capazes de interpretar e traduzir essas informações. Esse perfil profissional precisa ser capaz de resolver problemas complexos e aplicar processos eficientes para a criação de soluções inteligentes.

“Com o constante crescimento desse mercado, profissionais poderão atuar muito além do setor de tecnologia propriamente dito, mas em segmentos como assistência médica, finanças, negócios e mídia, por exemplo”, afirma Mello. Outro destaque é a carreira de Desenvolvedor Salesforce que desenvolve soluções de software ou aplicativos para as empresas se conectarem melhor com clientes, parceiros e potenciais consumidores.

Além destas, profissões como a de Engenheiro de Segurança da Informação, Analista de Quantum Machine Learning, Gestor de Desenvolvimento de Negócios de Inteligência Artificial estão entre algumas das carreiras consideradas promissoras nessa década.

“Hoje, qualquer pessoa que se especializar em soluções que assegurem a informação, Inteligência Artificial e no desenvolvimento de softwares ou aplicativos para as empresas se conectarem melhor com clientes, parceiros e potenciais consumidores, sairá na frente.”, finaliza Mello.

Mello também destaca que além do conhecimento técnico com estatística, tecnologia e engenharia da informação, habilidades essenciais do ser humano ainda são fundamentais para a qualificação de bons profissionais. “A capacidade de colocar-se no lugar do outro, a

curiosidade e a paixão, são características que tornam o profissional completo, as organizações buscam pessoas para pensar fora da caixa de forma equilibrada, nem tão humano, nem tão artificial.” Diante disso, o profissional que consegue aliar dados e emoções, será o mais disputado pelo mercado, conclui Mello.